Mãe e empreendedora: como cuidar de dois filhos ao mesmo tempo

Mãe e empreendedora: como cuidar de dois filhos ao mesmo tempo

Quando nasce uma mãe, em 68% dos casos nasce também uma empreendedora. É o que mostra o estudo “Empreendedoras e seus Negócios”, realizado pela Rede Mulher Empreendedora (RME).

7 em cada 10 mulheres buscaram o empreendedorismo após o nascimento de seus filhos 

‘Filhos costumam parir grandes empreendedoras’. Essa frase circula pelos grupos de empreendedorismo materno e suscita a vontade de investir em um negócio próprio.

Segundo o site Maternarum, “o empreendedorismo materno está relacionado às transformações que dizem respeito ao eixo profissional das mães, provocadas pela maternidade ou deflagradas a partir dela. A mãe empreendedora pode exercer uma nova atividade ou voltar ao seu antigo trabalho, mas buscando novas formas e um novo volume de dedicação”.

 Mães empreendedoras no Brasil

 O mundo dos negócios em nosso país, vem crescendo em adesão de mulheres que sonham em empreender, que enxergam nessa oportunidade, uma opção por mais tempo para a família, mesmo que isso impacte na renda e no sucesso profissional.

“Por isso é que dizemos que junto com uma mãe, nasce quase sempre uma empreendedora. E uma empreendedora motivada para fazer o seu negócio dar certo”, avalia Ana Fontes, fundadora da RME.

Mães empreendedoras logo descobrem que ter filhos e abrir um negócio têm bastante em comum: envolvem riscos, exigem muito tempo e esforço e são atividades apaixonantes.

Atualmente, metade dos novos empreendedores no Brasil são mulheres e, segundo informações da Rede Mulher Empreendedora (RME), a cada 100 novas empresas abertas no Brasil, 52 são de mulheres.

Segundo a Revista Exame, as empreendedoras possuem em média 39 anos e 80% delas possuem ensino superior completo. A principal categoria é de microempreendedora individual (32% das entrevistadas) e fatura até cinco mil reais mensais (46%).

Dicas para mães empreendedoras

Amanda Figueira, psicóloga, coach, consultora de carreira e mãe do Antonio, decidiu mudar quando começou a planejar a gravidez e percebeu que na vida corrida e na carreira que até então realizava, não tinha espaço para a chegada de um filho da maneira que ela desejava. E foi assim que resolveu deixar para trás uma carreira corporativa na área de Recursos Humanos e passou a trilhar seu próprio caminho.

Com base em sua experiência, Amanda compartilha algumas dicas que considera importantes sobre esse tema e que podem ajudar as mulheres a colocarem em prática o empreendedorismo materno.

Encontre seu caminho, descobrindo mais sobre você e seus talentos, buscando apoio nos amigos, na família e tendo um propósito.

·       Não confunda empreendedorismo materno com venda de produtos ou serviços ligados à maternidade.

·       Você não vai trabalhar menos. Com organização e propósito, as chances de se frustrar caem drasticamente e as possibilidades de se adequar a esse modelo ganham um novo espaço.

·       Não tente fazer isso sozinha, pois até pode funcionar de alguma forma, mas chega um ponto em que o apoio e a ajuda tornam-se extremamente necessários para que tudo dê certo.

·       Administre seu tempo e planeje-se, criando metas de tempo e não misturando os cuidados com os filhos com as atividades profissionais.

·       Pratique networking e busque se relacionar com seu público, com formadores de opinião e potenciais parceiros.

·       Profissionalize seu negócio, se informe, se especialize, cumpra seus prazos, saiba a hora de dizer “não”, busque regulamentar seu negócio e seja o melhor que puder ser.

Procure seguir as dicas acima, otimize seu tempo e adeque suas rotinas familiares e com uma boa organização pessoal e adequação de novas rotinas familiares, você terá uma experiência de sucesso. Se jogue e colha belos frutos!

E aí, esse post a ajudou de alguma forma? Conte-nos sobre sua experiência e compartilhe esse artigo em suas redes sociais.

Compartilhar este post

Fique por dentro das nossas novidades. Assine nossa newsletter.