Consumo de energia nos grandes shoppings: como otimizar?

Compartilhe esse post

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Destinos frequentes de grande parte dos brasileiros, especialmente nas grandes cidades, os shoppings centers são uma opção que une opções para consumo de variados produtos, alimentação, entretenimento, conforto, dentre outros aspectos. A ideia de que o shopping seria uma local apenas de compra e venda de produtos já não faz mais sentido.

Assim, como “centros de entretenimento” que se tornaram, os shoppings hoje recebem milhares de pessoas por dia para as mais diversas atividades. Tudo isso demanda altos investimentos e gera um grande consumo de itens como água, alimentos e especialmente energia elétrica.

Segundo dados de uma pesquisa feita em 2016 pela Associação Brasileira de Shopping Centers (ABRASCE), a média de 547 shoppings existentes no país receberiam juntos um fluxo de mais de 400 milhões de visitantes anualmente.

O mesmo órgão apontou em um estudo feito três anos antes (2013) que as despesas com com energia elétrica estariam chegando a 45% dos totais de um shopping center responsabilizando o ar condicionado por cerca de 60% desse consumo.

Continue lendo e confira mais sobre o uso de energia elétrica nos shoppings que você frequenta rotineiramente!

No que esse consumo implica?

Quando olhamos para os shoppings centers, independente do porte, ainda se caracterizam como empreendimentos com significativo potencial de consumo energético. Segundo a Associação Brasileira das Empresas de Serviços de Conservação de Energia (ABESCO), este um dos setores mais responsabilizados por emissões de gases do efeito estufa, o que reforça a relevância da discussão.

De acordo com Nabil Sahyoun, presidente da Associação Brasileira de Lojistas de Shopping (ALSHOP) “a tendência é buscar alternativas com ganho de eficiência que reflitam no custo. A tecnologia ajuda, pois é dinâmica e avança rapidamente. A automação também é ótima, com as escadas rolantes e elevadores inteligentes, que otimizam as viagens de acordo com a demanda. Essa modernização colabora para que tenhamos um consumo menor e custo reduzido, tão importante para o lojista”.

A preocupação com a otimização da energia elétrica em locais como shoppings tem aumentado durante os últimos anos, considerando tanto o impacto ecológico como também o aumento das tarifas públicas, que refletem no financeiro. Dessa forma, vários empresários entraram na corrente que busca lidar da melhor forma com o consumo consciente e uso de fontes de energia elétrica que reduzam esses impactos.

Que soluções são (ou podem ser) utilizadas para otimizar esse consumo energético?

Atualmente a maior parte dos shoppings lidam com o consumo de energia elétrica a partir de uma gestão estratégica visando se manterem competitivos no setor e contribuindo positivamente com o meio ambiente. Isso é possível graças as diversas possibilidades presentes hoje no mercado, como o uso de geradores, um exemplo forte e representativo do consumo consciente de energia.

Cada empreendimento possui necessidades específicas, mas há diversas demandas comuns a maior parte dos shoppings. Ao contrário do que se pensa, o uso de geradores é indicado não apenas para situações de interrupção repentina e não programada no abastecimento, e sim representam excelentes aliados na economia de energia.

Casos como horários de pico onde as tarifas aumentam, paradas para manutenção na rede elétrica, dentre outras são momentos em que o uso de geradores farão total diferença no faturamento, graças à possibilidade de abastecimento ininterrupto e otimizado.

Seja no uso contínuo ou apenas em casos de emergências, o uso de geradores podem (e devem) estar aliados com outras pequenas iniciativas de economia, tais como: troca de lâmpadas por modelos mais econômicos (LED), melhor aproveitamento da luz e ventilação naturais, uso de climatizadores mais econômicos ou ativação inteligente de acordo com a época do ano, manutenção periódica de equipamentos e substituição sempre que necessário, dentre outras.

Grupos geradores de energia – A solução mais eficiente!

Amplamente utilizados em diferentes outros empreendimentos, o uso de grupos geradores em shoppings já pode ser considerado como indispensável para manter o consumo consciente e eficiente de energia elétrica. Em alguns shoppings opta-se por deixar o aparelho gerador desligado temporariamente, sendo ativado automaticamente apenas quando há quedas inesperadas na energia.

Evita-se assim o dano em equipamentos importantes no empreendimento, além de todos os transtornos aos clientes e prejuízos financeiros para o proprietário, envolvidos na pausa do funcionamento do local em horários de movimentação intensa. Nesses casos costuma-se intitular esse uso de “backup”, pois não permite que nada seja desligado ou interrompido pela ausência de energia.

Porém, um dos modos mais eficientes de economia no consumo energético, que refletem na conta de luz ao final do mês, resume-se a deixar o gerador ligado como fonte de abastecimento primária para o shopping. Isso ocorre especialmente em horários específicos, definidos a partir de estudos das demandas de cada shopping. Locais como cinema, praça de alimentação e estacionamento, que necessitam de maior intensidade no abastecimento, recebem maior atenção nesses casos.

Partindo da realidade em que não mais conseguimos viver sem todos os benefícios da energia elétrica, o uso de geradores em locais de tanta movimentação de pessoas torna-se fundamental. Em aspectos ambientais, financeiros ou de segurança, esse tipo de equipamento cumpre exatamente o que promete: otimizar o consumo de energia elétrico.

Gostou do conteúdo? Compartilha nas suas redes sociais e espalhe por aí a importância desse tipo de economia!

Mais para explorar