Como aproveitar melhor a energia elétrica na sua indústria?

Compartilhe esse post

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

De acordo com Ministério de Minas e Energia do Brasil, em 2017, houve um aumento de cerca de 2,6% de aumento no consumo de energia no setor industrial, que equivale a marca dos 33% no índice total de consumo de energia no país.

É um número bastante alto se compararmos com os índices de caráter residencial, que chega a 9%. Usinas, fábricas, máquinas de corte, maquinofaturas e outras equipamentos com atividades de alta complexidade integram a maioria dos processos industriais, e a energia elétrica é força motriz para que todas essas operações sigam ininterruptas.

Empresários do setor e especialistas da área energética constantemente vem estudando novas possibilidades de consumo deste recurso tão essencial para a produção industrial.

No artigo de hoje, vamos explicar para você como fazer um melhor aproveitamento quanto ao consumo de energia elétrica na indústria brasileira, exemplos de ferramentas para gerenciamento e dicas de como economizar este recurso.

Qual a importância da eletricidade para a indústria brasileira?

A energia elétrica é a força motriz para qualquer tipo de indústria. Cerca de ⅔ do consumo de energia elétrica na indústria vem das máquinas e demais equipamentos utilizados no processo produtivo, mas dependendo do segmento, os números podem chegar em até 90%.

Sendo assim, podemos concluir que sem eletricidade grande parte dessa cadeia produtiva é incapaz de operar, gerando atrasos na produção e queda na produtividade. Em casos de queda abrupta de energia, como apagões, as consequências são ainda mais graves, desde a interrupção na produção em larga escala como também o risco de danificar o maquinário e demais ferramentas utilizadas.

Além disso, há o prejuízo financeiro significativo, pois todo o serviço é paralisado até que a companhia local consiga normalizar a situação.

Ao longo dos anos, podemos acompanhar pelos telejornais diversas crise sentidas no setor energético brasileiro. A falta de planejamento e investimento efetivo para melhoria da geração e transmissão de energia elétrica no país foram algumas das razões pela quais desencadeou a crise energética de 2001 e os “apagões”, atingindo fortemente a rotina dos brasileiros, além do impacto negativo na economia.

Para entender melhor o quanto a energia elétrica é crucial para o bom funcionamento da indústria, vejamos abaixo como este consumo é distribuído:

  • As máquinas fluidomecânicas (ventiladores, bombas e compressores) e seus componentes em operação correspondem a 60% do consumo de energia na indústria devido ao seu motor de indução ser acionado com maior frequência;
  • Motores de indução trifásico (baixa ou média tensão): corresponde a 85% do consumo de energia na indústria.

Os sistemas fluidomecânicos incluem, além do motor, outros componentes que estão diretamente conectados à rede elétrica (máquina, tubulações, acoplamento mecânico e uso de fluído nos equipamentos. Portanto, estas operações atuam em conjunto e estão totalmente interligadas entre si.

É importante salientar que a capacidade operacional das máquinas e motores de indução sofreram atualizações progressivas nos últimos 50 anos – a perda destes motores foram reduzidas em 60%. Apesar disso, a criação de sistemas com desempenho energético acima da média ainda é um grande desafio enfrentado pelas fabricantes destes produtos.

Ferramentas que ajudam a fazer um melhor aproveitamento da energia no setor industrial

Gerenciador de eficiência energética

O objetivo desta ferramenta é oferecer uma maior e melhor visualização de como está o consumo de energia da indústria para identificar, entre outras questões, quais setores concentram maior consumo de energia fazendo a integração entre eles (gerenciador de energia elétrica, controlador de ar comprimido, controle de iluminação, controlador de chillers e utilidades, gerenciador de equipamento e gerenciador e controlador de ar condicionado). Esse método auxilia no momento de apresentar os resultados após a implementação estas ações.

Gerenciador de energia

É utilizado para o monitoramento e controle de processos com o intuito de otimizar o consumo de eletricidade, feitas a partir da criação de estratégias para automatizar as atividades por determinados períodos de tempo, prevenindo que a cadeia produtiva seja interrompida caso haja sinais de queda de energia, além de gerar economia financeira significativa. O gerenciador ajuda também a identificar o mau uso dos equipamentos durante a produção.

Dicas e vantagens de como economizar energia na indústria

Para que o índice de consumo de energia elétrica seja reduzido nas indústrias, é interessante que seja feita uma análise de como é o gasto atual de energia. Alguns pontos que podem ser revistos são:

  • Explore a iluminação natural do ambiente
  • Dê preferência a lâmpadas eficientes e econômicas
  • Verificar o nível de tensão e modo de instalação das máquinas
  • Contate um técnico especializado para fazer a manutenção regular dos equipamentos
  • Observar quais são os horários com maior índice de consumo de energia e quais equipamentos consomem maior energia elétrica;
  • Investir em serviços automatizados
  • Tenha um ou mais de um grupo gerador de energia com capacidade suficiente para suprir toda a área de produção

A partir daqui, o próximo passo é começar a investir em fontes alternativas próprias para a produção e geração de energia elétrica. O uso de fontes renováveis já é uma realidade em diversos outros setores da economia brasileira, e aplicá-las nas indústrias contribui ainda para diminuição na emissão de gases nocivos à natureza.

As projeções para o futuro energético brasileiro é que com a evolução da tecnologia e novos investimentos, as formas de produção e geração de energia se tornarão mais eficientes graças a utilização dos recursos encontrados em abundância na natureza.

Além disso, é esperado uma redução gradativa na emissão de dióxido de carbono (CO2) após a adoção de reciclagem de materiais e investimento em gás natural na produção de energia.

A estratégia de gerar energia oriundo de elementos renováveis, vai refletir na redução dos custos de produção, gerando assim maior economia para a empresa. As principais fontes alternativas de geração de energia são eólica, solar, maremotriz, geotérmica e biomassa.

Gerador de energia para indústrias

É difícil não existir um grupo gerador de energia nas indústrias, pois oferece a segurança e capacidade energética exigida durante o processo produtivo. O gerador entra em ação quando é identificado alguma falha ou instabilidade na distribuição de energia feita pela rede local.

Além do fornecimento de energia garantido, o grupo gerador de energia nas indústrias ajuda a reduzir os índices de consumo – principalmente em horários de pico –, e garante máxima autonomia e eficiência no uso de energia elétrica pela empresa. Na indústria, o gerador ajuda a controlar os índices de consumo de energia elétrica necessário para movimentar as máquinas.

Além das indústrias, investir em um gerador de energia ajuda outras empresas a fazer o melhor aproveitamento da energia elétrica no espaço. Antes de comprar o modelo ideal, é preciso entender as características de uso deste equipamento. Quer saber mais sobre o assunto? Fale conosco para saber mais!

Mais para explorar