5 dicas para engenheiros eletricistas que querem trabalhar como autônomos

engenheiro eletricista autonomo

Compartilhe esse post

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Presente em basicamente tudo que fazemos hoje, a engenharia elétrica é uma das profissões mais buscadas em faculdade ao redor do país. Seja atuando com fornecimento, automação, microeletrônicas ou redução de consumo, o engenheiro eletricista formado, após obter o registro no CREA (Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia), sonha com uma carreira de sucesso no segmento e bons salários.

A formação não é nada fácil e o mercado muitas vezes enfrenta instabilidades que reduzem oportunidades para diversos profissionais. Dessa forma, profissionais de diversas áreas buscam por alternativas de se inserir no mercado de forma mais rápida. Seja por escolha própria ou oscilações na economia, os engenheiros eletricistas dispõem da possibilidade de atuar hoje de maneira autônoma ou como profissionais liberais.

Nesse regime, o engenheiro autônomo exerce sua profissão por conta própria e sem vínculo empregatício, podendo ser de forma eventual e/ou prestação de serviços fixos para determinados clientes com a frequência contratada.

Considerando trabalhar como engenheiro eletricista autônomo? Pese prós e contras

Entre os benefícios de atuar como autônomo os profissionais destacam os horários flexíveis, ausência de cobranças de chefes,  muitas vezes maiores intervalos para férias ou momentos de tempo de lazer.

Além de em alguns casos profissionais conseguirem perceber aumento considerável na renda em bons momentos do mercado. Porém, como tudo na vida, este regime possui também seus “contras” e não apenas os “prós”.

Como pontos de atenção para engenheiros eletricistas que desejam se tornar autônomos vale a pena citar que alguns benefícios e direitos trabalhistas garantidos a partir da carteira assinada não se aplicam nesse caso.

Muito do ganho financeiro do autônomo vai depender da forma como o profissional capta e retém seus clientes, situação e demandas de mercado, dentre outros fatores. Por isso, vale a pena pesar diversos fatores na hora da decisão desse direcionamento de carreira.

Pensando nesse importante passo para você reunimos aqui 5 dicas importantes para ter sucesso na carreira sendo engenheiro eletricista autônomo. Confira!

Dicas para quem deseja trabalhar como autônomo:

Planeje-se

Primeiramente o engenheiro autônomo deve compreender que não trabalha com vínculos empregatícios formais, mas estará empreendendo, o que no país é uma desafiadora atividade. Assim, é imprescindível que haja planejamentos sólidos e planos claros de ação para não comprometer, especialmente o aspecto financeiro.

Pensar em finanças, captação e fidelização de clientes, parcerias, divulgação e ainda executar o trabalho em si parece uma missão impossível, mas com uma visão clara no começo de objetivos, metas, caminhos possíveis para executar cada uma delas, e diferenciais competitivos, as dificuldades podem ser ultrapassadas com mais eficácia.

Planilhas e programas online podem ajudar a documentar e controlar dados importantes, faça uso desses mecanismos!

Escolha um nicho de mercado e foque nele

Considerando questões como demandas de mercado, suas experiências anteriores e áreas de preferência ou maior identificação, você pode chegar a um nicho de atuação. Mas por que isso é importante? Atuar em um nicho dentro do mercado pode garantir mais acertividade nas ações de divulgação e fechamento de clientes, e até ser um direcionamento para estudos e capacitações.

O engenheiro autônomo só tem a se beneficiar escolhendo um serviço ou conjunto específico de serviços para oferecer, e especializar-se dentro disto. Porém, é fundamental que o profissional amplie essa cartela com o tempo e vá se atualizando gradativamente para atuar em mais áreas e não tornar-se limitado.

Qualifique-se e busque atualizações

Um engenheiro eletricista que consegue a carteira do CREA pode achar que tudo a ser aprendido na área foi absorvido durante a faculdade, e isso é um grave erro que pode levar ao fracasso também a carreira como autônomo. É necessário estar sempre buscando atualizações e qualificações para se destacar frente ao concorrentes.

Por que contratar você e não uma empresa especializada com todo o suporte de uma equipe? Excelência na prestação do serviço pode e deve ser uma das principais respostas aqui, a briga não pode ser apenas por preço, e isso vem predominantemente de capacitação adequada. Destaca-se o ponto já citado sobre iniciar atuando em nichos e agregar valor ao trabalho.

Existe uma infinidade de cursos presenciais, materiais online, eventos do segmento e além de tudo isso, nada impede que o engenheiro eletricista que aspira ser autônomo busque contato de outros profissionais para compartilhar experiências, conteúdos, novidades, ou qualquer informação relevante.

Formalize-se

Profissionais autônomos e liberais hoje contam com algumas possibilidades para formalização, garantindo certos direitos trabalhistas e benefícios importantes nesse regime. Para o engenheiro eletricista autônomo é uma opção interessante ter o registro formal, seja através de um MEI (Microempreendedor Individual) ou de alguma outra maneira.

Com o MEI, por exemplom, o profissional consegue contar com benefícios como: CNPJ, emissão de Nota Fiscal, apoio técnico do SEBRAE, alguns direitos previdenciários (ex: auxílio doença, aposentadoria por idade e salário maternidade), dentre outros, tudo por uma pequena taxa mensal.

A formalização pode ser um importante diferencial de profissionalismo frente aos clientes, e também uma garantia para o profissional.

Invista na divulgação do seu trabalho

Cada segmento tem as suas especificidades, mas em todos os mercados é fundamental saber como chegar até seu público-alvo. Para quem você está vendendo seus serviços? Todas as demais dicas por fim culminam neste tópico. A divulgação do trabalho vai ser um recurso chave para aquisição de clientes e parcerias que irão alavancar a carreira do engenheiro eletricista autônomo.

Atualmente existem diversos materiais de fácil acesso e gratuitos na internet, além de órgãos como o SEBRAE também fornecerem mentorias importantes para profissionais nesse regime registrados. Como vender seus serviços e diferenciais devem ser grandes preocupações, principalmente no começo, quando o profissional ainda está se firmando no mercado.

Destaca-se aqui a importância de estar em contato com profissionais da área, frequentar eventos, buscar networking e assim firmar parceiros e também clientes com trabalhos recorrentes. Além disso, a presença digital hoje é um dos pontos mais importantes pra quem fornece algum serviço.

Seja utilizando um site, redes sociais ou qualquer outro mecanismo disponível, as possibilidades na internet são inúmeras e muito mais simples hoje. Em todo caso, o engenheiro autônomo pode delegar parte desse trabalho para profissionais especializados e conseguir ajuda ao menos para começar.

Os primeiros meses são considerados os mais difíceis e desafiadores, o mercado nem sempre está receptivo e muitas vezes surgem inseguranças. Porém, esperamos que com essas dicas a sua caminhada como engenheiro eletricista autônomo tenha se iluminado um pouco. Siga em frente rumo a uma carreira de sucesso!

Conhece alguém que está querendo se aventurar como autônomo na área de engenharia elétrica? Compartilhe esse conteúdo com a sua rede e espalhe essas dicas valiosas com quem pode estar precisando!

Mais para explorar