Mineração e energia: como anda essa relação hoje?

Compartilhe esse post

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

A relação entre mineração e energia constitui um desafio fundamental para o desenvolvimento do país. Para que o resultado dessa relação seja favorável, o setor da mineração precisa encontrar meios de manter a produtividade, enquanto incrementa a eficiência energética. 

De fato, o consumo energético de uma empresa mineradora é muito elevado. Só para dar um exemplo, a mineradora brasileira Vale, sozinha, consome 2% de toda a energia elétrica produzida no país. Isso equivale à demanda do estado do Espírito Santo. 

E como a indústria da mineração tem abordado essa questão? Como anda a relação mineração e energia nos dias de hoje?

A busca de soluções para a eficiência energética

O setor de mineração faz esforços para encontrar soluções:

Geração própria e aperfeiçoamento de processos

As grandes companhias mineradoras procuram gerar sua própria energia. Ainda citando a Vale como exemplo, a empresa investe alto na substituição das fontes convencionais por outras renováveis, para atender à sua grande necessidade energética. 

Segundo informação do site da companhia, 54% de sua demanda é suprida por geração própria, especialmente com energia eólica e hídrica. Além disso, a empresa busca o aperfeiçoamento de todas as etapas do processo produtivo, visando a eficiência energética. 

A união faz a força: o Mining Hub

Em 2019, um grupo de mineradoras se reuniu para criar o Mining Hub, com o objetivo de incentivar projetos com soluções inovadoras para o setor. As startups apresentam o projeto e as mineradoras atuam como madrinhas. Uma das principais preocupações é a questão da eficiência energética e sustentabilidade.

Sob o patrocínio do Mining Hub, a startup Green Fuel desenvolveu um projeto para utilizar o hidrogênio para reduzir o consumo de diesel e a emissão de gases pelos motores das máquinas utilizadas na mineração.

Mineração e fontes renováveis de energia

Se a demanda de energia na atividade mineradora é tão alta, a estratégia mais inteligente é investir em fontes renováveis, que nunca se esgotam. Vamos recordar exemplos:

  • energia solar (sol)
  • energia hídrica (rios)
  • energia eólica (vento)
  • biomassa (matéria orgânica)
  • geotérmica (interior do planeta)
  • oceânica (movimentos do oceano)
  • hidrogênio (molécula de hidrogênio)

A brasileira Vale colocou meta de utilização de 100% de fontes limpas e renováveis até 2030, e já tem contrato para a compra de toda a produção do parque eólico Folha Larga Sul, na Bahia. 

Outras empresas gigantes do setor minerário também investem na substituição das fontes não-renováveis pelas renováveis. 

Os recursos tecnológicos da indústria 4.0

Máquinas inteligentes, integração de sistemas, Internet das Coisas, uso de dados, robôs e muitos outros recursos tecnológicos da indústria 4.0 também incrementam a eficiência energética na mineração. 

A Agência Brasileira para o Desenvolvimento da Indústria (ABDI) estima que a indústria 4.0 proporciona uma economia de até R$ 7 bilhões no gasto energético do setor. 

A tecnologia propicia a otimização de processos e o controle mais efetivo do consumo de energia. 

A atuação do governo na relação mineração e energia

Preocupar-se com a eficiência energética na mineração não é papel que se restringe à iniciativa privada. O governo cumpre seu papel e busca incentivar as pesquisas na área. 

Em dezembro de 2019, os ministérios de Minas e Energia (MME) e o da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) firmaram parceria para integrar estratégias. Um grupo de trabalho foi criado para estimular pesquisas e aproximar os setores de mineração e energia. 

Então, concluímos que a relação mineração e energia é dinâmica na busca de soluções para maior eficiência energética no setor. Bom saber disso, não é mesmo? Que tal espalhar a notícia em suas redes sociais? Compartilhe nosso artigo com seus amigos!

Mais para explorar